quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Preso mais um suspeito de chacina em bar no Bairro São Geraldo


De acordo com a Polícia Civil, os assassinatos estão ligados a disputa pelo tráfico de drogas na Região Leste, que já ocasionou pelo menos outras quatro mortes desde 2011


A chacina aconteceu em um bar onde acontecia um show de pagode (Paulo Filgueiras/EM/D.A.Press)
A chacina aconteceu em um bar onde acontecia um show de pagode
Os suspeitos usaram uma metrlhadora 9 milímetros para cometer o assassinato (Tulio Santos/EM/D.A.Press)
Os suspeitos usaram uma metrlhadora 9 milímetros para cometer o assassinato
 A polícia prendeu mais um suspeito de assassinar a tiros três pessoas dentro de um restaurante no Bairro São Geraldo, Região Leste de Belo Horizonte. Jean Paulo Santos da Sé, de 19 anos, foi encontrado em uma casa em Sabará, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Um outro homem ainda é procurado. De acordo com as investigações, comandadas pelo delegado Emerson de Morais, da Delegacia de Homicídios Leste, o homicídio faz parte de uma série de vinganças motivada pela disputa do tráfico de drogas. Desde 2011, quatro pessoas foram mortas na região. 


Os assassinatos começaram em fevereiro do ano passado, no Bairro Pompéia, na Região Leste da capital. Rudimar Aparecido Santos de Oliveira, de 27 anos, foi morto a tiros por Waldir Beiral de Oliveira, que é irmão de Luciano Beiral de Oliveira, preso na última sexta-feira por participação na chacina no Bar Viola Encantada.

Quatro meses após o crime, Vítor Leonardo dos Santos Souza, de 28, uma das pessoas mortas no Bairro São Geraldo e principal alvo dos bandidos, assassinou Waldir. Souza teve ajuda de Alanderson Camilo Gomes, de 20.  A série de assassinatos não parou por aí. No mesmo ano, Luciano Beiral, que é irmão de Waldir, matou Alanderson. Segundo a Polícia Civil, o crime foi cometido em 13 de setembro, mesma data do aniversário da mãe de Beiral. 

Com a morte de mais um amigo e membro de sua gangue, Vitor comete outro atentado contra os rivais. Desta vez, tenta assassinar Walace Nascimento Beiral, primo de Luciano. O homem foi baleado e ficou paraplégico. 

Diante desta tentativa de homicídio contra mais um membro da família, Luciano armou um plano para assassinar Vítor. No dia anterior a chacina no Bairro São Geraldo, o suspeito conseguiu informações que seu alvo estaria em um pagode no Bar Viola Encantada e arquitetou todo o assassinato. 


Chacina do São Geraldo 
De acordo com a Polícia Civil, Peter Gomes de Moura, de 23, e Rodrigo Luiz Marques Cerqueira, de 22, entraram no pagode com uma pistola .40 e com uma submetralhadora 9 milímetros, de fabricação espanhola. Os dois se identificaram como militares, e depois atiraram em Vítor Leonardo. 

Logo depois, Rodrigo apontou a submetralhadora e disparou várias rajadas contra as pessoas que estavam na casa noturna, matando Mara Lúcia da Silva, de 28, e Cezar Augusto dos Santos Brito, de 28. Outras 14 pessoas, que estava no bar no momento dos tiros, ficaram feridas. 

Em meio ao pânico, os assassinos saíram correndo e tentaram fugir em uma motocicleta. Na saída, a dupla foi surpreendida por duas guarnições do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) que faziam a ronda na região. Houve troca de tiros com os policiais e Rodrigo Luiz, que estava na garupa da moto, foi morto pelos militares. Peter conseguiu fugir e ainda é procurado pela polícia. 

Jean Paulo e Luciano Beiral ficaram do lado de fora do bar para dar cobertura aos outros dois suspeitos. Beiral foi preso na última sexta-feira durante uma blitz da Polícia Militar no Bairro Cidade Nova, na Região Nordeste de Belo Horizonte. A motocicleta que ele dirigia, uma Falcon nas cores preta e prata, foi reconhecida durante a abordagem por militares, a partir de relatos de testemunhas da chacina. 

Já Jean foi preso na última segunda-feira em uma casa em Sabará, na Grande BH, durante o cumprimento de um mandado de prisão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário